MÁQUINAS EM MODO ULTIMATE VENCE LÍDER

Escrito por: Francisco Figueiredo

SuperLigaFutsal – 2017/2018 – Lisboa – 2ª Época

19 e 20 de Maio de 2018

 

8ª Jornada da 2ª Liga de Futsal de Lisboa

FC Piedense 2 – 8 F.C Boleragem

POKER DE RODOLFO FALCÃO EM NOVA VITÓRIA DO F.C. BOLERAGEM

                No encontro que abria mais uma jornada de 2ª Liga de Futsal de Lisboa, FC Piedense e F.C. Boleragem entravam em campo só com a vitória no pensamento se ainda quisessem manter vivas as aspirações de subida de divisão, a Boleragem a apenas dois pontos do segundo lugar tinha grandes ambições neste jogo, já o FC Piedense precisava de três pontos que os colocassem mais perto dos lugares cimeiros da tabela.

                Com um início de jogo arrebatador, a equipa do F.C Boleragem entrou praticamente a vencer, com Rodolfo Falcão a tirar um coelho da cartola logo na primeira jogada do encontro e a inaugurar o marcador, sendo que apenas três minutos depois, o mesmo Rodolfo Falcão rematou potente de fora de área para dilatar a vantagem do F.C Boleragem para 2-0. Em desvantagem no marcador a equipa do FC Piedense subiu as suas linhas à procura de reduzir, com Bernardo Lucas a ficar perto do golo, mas numa tarde de grande inspiração Rodolfo Falcão confirmou o seu bom momento e ainda dentro dos dez minutos inicias confirmou o seu hat-trick, voltando a dilatar a vantagem do F.C Boleragem para 3 golos. Depois de um início algo tremido, a equipa do FC Piedense assentou finalmente o seu jogo e numa jogada de envolvimento coletivo com elevada nota artística, Tiago Velez apareceu na cara do guarda-redes contrário para fazer o primeiro golo da sua equipa e reduzir a desvantagem da sua equipa para 3-1, mas numa tarde de grande inspiração o F.C Boleragem respondeu no minuto seguinte e recolocou a vantagem da sua equipa em três golos, com Paulo Romário a fazer o gosto ao pé ao minuto onze. Depois de um início de jogo bastante frenético, as duas equipas foram estabilizando o seu jogo com o avançar do primeiro tempo, sendo que o F.C Boleragem ia tentando impor o ritmo de jogo, já o FC Piedense ia responde em transições rápidas. Até final da primeira metade, o F.C Boleragem não deixou de procurar dilatar a vantagem mais uma vez, mas o resultado iria mesmo em 4-1 para o descanso.

                A segunda metade começou como terminou a primeira e depois de vária ameaças, o F.C Boleragem voltou mesmo a dilatar a vantagem, com Wadson Oliveira a fazer o quinto golo da sua equipa logo no segundo minuto do segundo tempo. Na resposta o FC Piedense voltou a subir as suas linhas para tentar reduzir a desvantagem no marcador, com Tiago Velez a ficar muito próximo de bisar, mas foi mesmo o F.C Boleragem que voltou a faturar, com Rodolfo Falcão a passar por dois adversários e a oferecer a Paulo Romário, que só teve de encostar para o 6-1. Com uma desvantagem considerável no marcador, o FC Piedense assentou o seu jogo à procura do golo e Tiago Velez, o mais inconformado com o resultado ficou uma vez mais próximo de bisar, mas mais uma vez a resposta do F.C Boleragem não tardou e numa tarde de grande inspiração, Rodolfo Falcão mostrou mais uma vez toda a sua qualidade técnica e fez o seu quarto golo na partida, com cinco minutos por jogar até ao final do encontro, sendo que logo de seguida Paulo Romário confirmou também ele o seu hat-trick e elevou a vantagem da sua equipa para 8-1. Até final do encontro o FC Piedense não deixou de procurar o golo e Tiago Velez já na última jogada do encontro ainda bisou na partida, mas sem tempo para evitar nova derroa da sua equipa, 8-2 assinalava o marcador no final dos quarenta minutos.

                Com esta vitória a equipa do F.C Boleragem confira o seu bom momento e soma mais uma importante vitória na luta pela subida de divisão, já o FC Piedense continua à procura de voltar aos bons resultados e terá na próxima jornada uma boa oportunidade para o conseguir.

 

Amigos da Bola 2 – 2 A Travessa

DIVISÃO DE PONTOS EM JOGO DISPUTADO ATÉ FINAL

                De seguida foi a vez da equipa dos Amigos da Bola defrontar a equipa A Travessa, os Amigos da Bola a apenas três pontos do segundo classificado via este jogo como uma grande oportunidade de encurtar distâncias para o grupo da frente, já A Travessa, atual líder da 2ª Liga de Futsal de Lisboa, somou na jornada passada a sua primeira derrota na competição e esperava neste jogo voltar aos bons resultados.

                Num início de partida com a equipa A Travessa a tentar impor o ritmo do jogo, a equipa dos Amigos da Bola ia tentando em contra-ataque chegar com perigo à área contrária, sendo que com o passar dos primeiros minutos a equipa A Travessa esteve sempre muito perto de inaugurar o marcador, com destaque para a facilidade de remate de João Vieira, já do lado dos Amigos da Bola, Tomás Portilho ia sendo o mais perigoso. Com o primeiro golo a tardar em chegar, as duas equipas iam estando muito próximas do golo, sendo só dois guarda-redes bastante inspirados iam evitando o golo. Numa partida bastante disputada, as duas equipas iam estiverem sempre muito perto do golo, com João Vieira do lado da equipa A Travessa a não desistir de tentar o golo, já do lado dos Amigos da Bola Aiman Elouzari teve o golo nos pés à passagem do minuto 12, mas mais uma vez Ângelo Pina levou a melhor na baliza da equipa A Travessa. Com o chegar do final do primeiro tempo as duas equipas continuaram à procura de desfazer o nulo do marcador, desta feita de meia distância, e num jogo onde os dois guarda-redes se iam evidenciando como principais figuras, o nulo persistiu até ao descanso.

                Com um início da segunda metade apareceu finalmente o tão desejado golo, com Rafael Ventura a aparecer solto na área contrária e com um toque subtil colocou a equipa A Travessa em vantagem no marcador, sendo que João Vieira apenas dois minutos depois fez também ele o gosto ao pé, em mais um dos seus remates de fora de área e dilatou a vantagem da equipa A Travessa para 2-0. Em desvantagem por dois golos a equipa dos Amigos da Bola aumentou a pressão sobre o adversário, mas a equipa A Travessa iam respondendo nesta fase em contra-ataque, estando muito perto de voltar a marcar nos minutos seguintes. Com o avançar da segunda parte a equipa A Travessa ia gerindo a vantagem de dois golos, estando por diversas perto de fazer o terceiro golo, com João Vieira a ficar muito perto de bisar, mas com uma reação incrível a equipa dos Amigos da Bola responderam da melhor forma à melhor fase do adversário e Rui Monteiro à passagem do minuto trinta e dois fez o primeiro golo da sua equipa, reduzindo a desvantagem da sua equipa para a margem mínima, sendo que na jogada seguinte o mesmo Rui Monteiro voltou a faturar com um magnifico remate à entrada de área a entrar junto ao ângulo, voltando a empatar a partida, desta feira a dois golos. A equipa a travessa ainda tentou responder nos minutos finais e voltar a colocar-se em vantagem, mas até final da partida nenhuma das equipas voltou a criar perigo, mantendo-se o 2-2 até ao apito final do árbitro.

                Com este empate a equipa A Travessa perdeu dois importantes pontos na luta pela liderança da 2ª Liga de Futsal de Lisboa e vê assim o Spadja Pé passar para o topo da classificação, já os Amigos da Bola ganhou um importante ponto na sua aproximação aos lugares cimeiros da tabela.

 

Spadja Pé 10 – 2 FCL Lisboa

TARDE DE GRANDE INSPIRAÇÃO VALE NOVA GOLEADA AO SPADJA PÉ

                No término de mais uma sempre competitiva jornada da segunda liga, Spadja Pé e FCL Lisboa, terceiro e segundo classificados respetivamente entravam em campo naquele que era o jogo mais aguardado da jornada, estando as duas equipas separados apenas por um ponto. Em caso de vitória do Spadja Pé abria uma vantagem de quatro pontos para o rival desta noite e colocava pressão sobre o primeiro classificado A Travessa, já o FCL Lisboa procurava ultrapassar o adversário desta jornada e ascender aos lugares de subida de divisão.

                Com um início de partida a todo o gás a equipa do Spadja Pé entrou praticamente a vencer e logo na primeira jogada, Emanuel Almeida apareceu solto de marcação na área contrária e fez o primeiro golo da partida, sendo que apenas dois minutos depois, André Cardita com uma arrancada espetacular deixou dois adversários para traz e dilatou a vantagem do Spadja Pé para 2-0. Em desvantagem no marcador desde cedo a equipa do FCL Lisboa iam tentando chegar rapidamente à área contrária, com Breno Jesus a ficar centímetros do golo nos minutos seguintes, mas numa tarde onde tudo corria bem, a equipa do Spadja Pé fez o terceiro golo na partida, com Francisco Teles a aparecer a aparecer solto de marcação à entrada de área e com muita frieza a não desperdiçar. Com o avançar dos minutos as duas equipas foram se anulando mutuamente e só em rasgos individuais conseguiam criar perigo e numa bola parada Breno Jesus serviu da melhor forma Gelson Tavares que só teve de encostar para o primeiro golo do FCL Lisboa na partida, sendo que apenas dois minuto depois, Breno Jesus fez também ele o gosto ao pé e reduziu a diferença da sua equipa para 3-2. A resposta do Spadja Pé não podia ter sido melhor e João Almeida ao minuto dezasseis voltou a colocar a sua equipa com dois golos de vantagem. A equipa do Spadja Pé voltou a ganhar confiança com o golo marcado e Francisco Teles a dois minutos do descanso bisou na partida com um potente remate e levou o marcador em 5-2 ao intervalo.

                A segunda metade iniciou-se com os mesmos níveis de intensidade que se verificaram na primeira metade e logo a abrir, João Almeida também ele bisou na partida e fez o sexto golo da sua equipa. Com uma vantagem de quatro de golos a equipa do Spadja Pé não baixou a intensidade e apenas três minutos depois, Emanuel Almeida tornou-se no terceiro jogo do Spadja Pé a bisar na partida, aumentando a vantagem da sua equipa. O FCL Lisboa com uma grande desvantagem no marcador, abordou os últimos minutos da partida de forma bastante ofensiva, mas numa tarde de grande inspiração da equipa do Spadja Pé, Samuel Correia á passagem do minuto trinta e um aproveitou uma jogada algo confusa na área adversária e voltou a faturar para a sua equipa. Na resposta a equipa do FCL Lisboa ainda ficou bastante perto de voltar a faturar, com Gelson Tavares e Pedro Silva a ficarem muito perto do golo, mas numa tarde de pouca inspiração ofensiva o FCL Lisboa ia desperdiçando. Até final da partida estes não deixaram de procurar reduzir a desvantagem, mas uma equipa do Spadja Pé letal no contra golpe aproveitou um adiantamento contrário por voltar a marcar por duas vez, com João Almeida a fazer mais dois golos e a completar o seu poker, selando a vitória da sua equipa por 10-2.

                Com esta vitória a equipa do Spadja Pé aproveitou o empate da equipa A Travessa e passou para a liderança da 2ª Liga de Futsal de Lisboa, já o FC Lisboa perdeu nesta partida uma grande oportunidade de em caso de vitória ultrapassar o rival desta jornada.

Gente do Mal (Isento)

 

9ª Jornada da SuperLiga de Futsal de Lisboa

O Companheiro 3 – 5 Espelho

ESPELHO CONFIRMA BOM MOMENTO NA ÉPOCA

                A abrir a SuperLiga de Futsal de Lisboa, foi a vez da equipa O Companheiro defrontar a equipa do Espelho, duas equipas coladas na tabela classificativa, separadas apenas por um ponto. Em caso de vitória a equipa do Espelho aproximava-se dos primeiros classificados e abria um foço de quatro pontos entre as duas equipas, já O Companheiro a apenas um ponto do rival desta jornada, via neste jogo uma grande oportunidade de escalar um lugar na tabela classificativa e encurtar distâncias para o grupo da frente.

                Depois de um início de partida algo cauteloso dos dois lados, as duas equipas foram aumentando a intensidade com o passar dos minutos, sendo que Ricardo Ferreira do lado da equipa do Espelho e Danielson Gonçalves do lado da equipa O Companheiro iam sendo os mais perigosos. É então que à passagem do minuto sete, que a equipa do Espelho descobre uma brecha na defesa contrária e Yakil Mussagy solto de marcação ao segundo poste e inaugura o marcador. A resposta da equipa O Companheiro não se fez esperar e ainda dentro dos dez minutos iniciais, Jailton Borges rematou potente de fora de área e restabeleceu a igualdade no marcador. Com o empate novamente no marcador, o nervosismo começou a subir dos dois lados e numa fase do jogo de parada e resposta, Danielson Gonçalves apareceu isolado na área contrária e com classe, ultrapassou o guarda-redes contrário antes de dar vantagem à equipa O Companheiro pela primeira vez na partida. Até ao descanso a equipa do Espelho não deitou a toalha ao chão e já no último minuto, Ricardo Ferreira com uma jogada individual fenomenal voltou a empatar a partida, resultada que se verificava ao intervalo.

                A segunda metade iniciou-se com o mesmo ritmo frenético que terminou o primeiro tempo e Sandro Noronha nos primeiros minutos ficou muito próximo de voltar a recolocar a equipa do Espelho na frente do marcador. Com o passar dos minutos o empate foi se mantendo no marcador, com sucessivas oportunidades de golo para os dois lados e à passagem do minuto vinte e sete, na cobrança de um livre direto à entrada de área de forma exímia, o mesmo Sandro Noronha fez também ele o gosto ao pé e recolou a equipa do Espelho na frente, sendo que apenas dois minutos depois, o mesmo Sandro Noronha voltou a faturar, desta feita com um potente remate de fora de área, que dilatou a vantagem da sua equipa para 4-2, com dez minutos por jogar. Numa fase frenética do encontro, a equipa O Companheiro respondeu outra vez de imediato e com uma finalização de cabeça cheia de intenção, Danielson Gonçalves bisou na partida e voltou a colocar a diferença entre as duas equipas na margem mínima. Há passagem do minuto trinta e quatro, a equipa do Espelho beneficiou de um livre de dez metros e Sandro Noronha em mais uma noite de grande inspiração, não tremeu e completou o seu hat-trick, recolocando a vantagem da sua equipa em dois golos de diferença, com cinco minutos por jogar. Até final do encontro as duas equipas jogaram com níveis de intensidade elevadíssimos, sendo que a equipa O Companheiro ainda se colocou a jogar em cinco contra quatro à procura do golo do empate, mas uma sólida equipa do espelho a defender garantiu mais uma importante vitória, sendo que no final dos quarenta minutos o marcador assinalava 5-3 a favor da equipa do Espelho.

                Numa tarde de grande inspiração de Sandro Noronha a equipa do Espelho agravou a ´serie de derrotas da equipa O Companheiro e abri-o uma distância pontual de quatro pontos para os rivais desta jornada, já a equipa O Companheiro com esta derrota vê assim a sua série de derrotas aumentar para quatro jogos e tentará na próxima jornada voltar aos bons resultados.

 

Os Máquinas 3 – 1 ODIN

OS MÁQUINAS LEVAM A MELHOR EM JOGO DECIDIDO NOS DETALHES

                De seguida foi a vez da equipa Os Máquinas defrontar o ODIN, duas equipas a atravessar o melhor momento da época e que pretendiam dar sequência aos bons resultados das jornadas transatas. Os Máquinas com um série de bons resultados nas últimas jornadas encontra-se agora em sexto lugar e em caso de vitória tinham garantida a subida ao quinto posto, já o ODIN também ele a atravessar um excelente momento, bateu na jornada passada os líderes da competição e colaram-se à equipa Os Campeões no primeiro lugar, sendo que só os três pontos interessavam às duas equipas.

                Num início de partida frenético, as duas equipas entraram decididas a fazer o primeiro golo cedo e Rodrigo Vieira do lado do ODIN teve nos pés a oportunidade de inaugurar o marcador logo no segundo minuto, já no lado da equipa Os Máquinas Daniel Sousa com um remate potente de fora de área ficou a centímetro de dar vantagem à sua equipa. Com o avançar da primeira metade a intensidade foi aumentando dos dois lados, com o jogo a entrar numa fase de parada e resposta entre as duas equipas, sendo que os dois guarda-redes, Ruben Pereira do lado do ODIN e Elton Gonçalves do lado da equipa Os Máquinas, iam começando a ganhar protagonismo no encontro, com defesas de elevado grau de dificuldade. Com o passar dos minutos o golo foi andando sempre perto das duas balizas com André Gadelha do lado do ODIN a ficar por diversas vezes perto de inaugurar o marcador, mas um enorme Elton Gonçalves iam mantendo o nulo no marcador. Até ao final da primeira metade as duas equipas não deixaram de procurar o golo e Pedro Silva já no último minuto da primeira parte, aproveitou uma bola perdia à entrada de área por parte da equipa do ODIN e com um potente remate levou Os Máquinas a vencer por 1-0 para o intervalo.

                A Segunda metade começou como terminou a primeira e logo no segundo minuto, Rodrigo Vieira rematou potente do meio da rua e fez o primeiro golo da equipa do ODIN empatando a partida, com o segundo tempo todo por jogar. A resposta da equipa Os Maquinas foi imediata e com uma jogada de génio, Pedro Silva passou por um adversário antes de servir da melhor maneira Hugo Ramos, que só teve de encostar para recolocar a sua equipa na frente do marcador. Numa fase frenética do encontro, os níveis de tensão subiram entre as duas equipas e Os Máquinas moralizados por nova vantagem foram à procura do terceiro golo e estivem perto de o conseguir nos minutos seguintes, já a equipa do ODIN iam tentando chegar ao empate através de transições rápidas. Com o final da partida aproximar-se e apenas um golo a separar as duas equipas, o nervosismo voltou a subir dos dois lados e numa fase onde até estava por cima, a equipa Os Máquinas confirmou o seu bom momento e à passagem do minuto trinta e três, Luís Brito apareceu solto na área contrária e dilatou a vantagem da sua equipa para 3-1. Até final da partida a equipa do ODIN ainda subiu o seu guarda-redes, jogando num cinco contra quatro à procura do golo, mas uma equipa Os Máquinas a atravessar o melhor momento da época manteve-se coesa a defender e segurou a vantagem até ao final dos quarenta minutos.

                Com esta vitória a equipa Os Máquinas confirma o seu bom momento e dá sequência à sua senda de vitórias, estando agora a apenas quatro pontos da liderança, já o ODIN que atingiu o topo da classificação na jornada passada perde a primeira posição com uma derrota que vem por fim a uma longa série de jogos sem derrota da sua equipa.

 

Activos 24 0 – 4 Rabulera FC

RABULERA FC VENCE JOGO BASTANTE COMPLICADO CONTRA ACTIVOS 24

                No terceiro jogo da jornada, Activos 24 e Rabulera FC entravam na quadra para um jogo entre duas equipas em fases diferentes da época. Os Activos 24 depois já terem estado na liderança procuram lá voltar e a apenas um ponto da liderança só a vitória interessava, enquanto a equipa da Rabulera FC depois de um início algo irregular, parece ter voltado aos bons resultados, tendo neste jogo prespetivas de prolongar esta série.

                Num início de jogo onde as duas equipas tentaram estabilizar o seu jogo, a equipa dos Activos 24 tentou pressionar alto o adversário e não os deixar sair a jogar, já a Rabulera FC ia tentando responder em contra ataque. Com o passar dos minutos a equipa dos Activos 24 foi estando mais próxima do golo com Fábio Silva a ficar perto de inaugurar o marcador de bola parada. Numa primeira metade disputada com níveis de intensidade elevadíssimos, a equipa dos Activos 24 ia desperdiçando sucessivas oportunidades para golo e com o avançar do primeiro tempo o nulo foi persistindo no marcador, com o nervosismo a aumentar nas duas equipas. À passagem do minuto doze a equipa dos Activos 24 ficou muito próxima de se colocar em vantagem com Nuno Dinis a ter nos pés a possibilidade de dar vantagem da sua equipa, mas Carlos Neves na baliza da Rabulera FC ia mentando as suas redes invioláveis. Na resposta a equipa da Rabulera FC teve também ela a possibilidade de inaugurar o marcador, mas João Pais depois de ultrapassar dois adversários rematou à figura. Até final dos primeiros vinte minutos as duas equipas continuaram à procura do primeiro golo do jogo, mas alguma infelicidade na hora de finalizar e dois guarda-redes em noite sum iam mantendo o nulo no marcador ao intervalo.

                A segunda metade iniciou-se na mesma toada que terminou a primeira, com as duas equipas algo nervosas à procura do primeiro golo e é então que á passagem do segundo minuto que Elias Carolino aproveitou da melhor forma uma transição rápida da equipa da Rabulera FC e com muita frieza inaugurou o marcador, sendo que apenas três minuto depois o mesmo Elias Carolino serviu da melhor forma João Pais, que fuzilou o guarda-redes contrário e dilatou a vantagem da Rabulera FC para 2-0. Os dois golos deram confiança à equipa da Rabulera FC que nos minutos seguintes esteve por cima e podia ter chegado mesmo ao terceiro golo, mas Alexandre Costa com duas paradas incríveis ia mantendo a equipa dos Activos 24 viva no jogo. Com o avançar da segunda metade e em desvantagem por dois golos, a equipa dos Activos 24 colocou-se a jogar em cinco contra quatro à procura do empate, ainda com dez minutos até final. À passagem do minuto trinta e cinco a Rabulera FC aproveitou da melhor forma uma grande penalidade e Adilson Mendes de forma irrepreensível fez o terceiro golo da sua equipa, sendo que apenas um minuto depois o mesmo Adilson Mendes aproveitou o adiantamento do guarda-redes contrário para dilatar a vantagem da Rabulera FC 4-0, com um remate do meio campo a fazer levantar a plateia presente no pavilhão. Ate final da partida a equipa dos Activos 24 ainda procurou reduzir a desvantagem, mas o resultado iria mesmo fixar-se me 4-0 no final da partida a favor da Rabulera FC.

                Com esta vitória a equipa da Rabulera FC continua na sua fantástica recuperação na tabela classificativa e com mais três pontos somados aproximou-se do sexto lugar, já os Activos 24 não aproveitam os deslizes das equipas que se encontravam em primeiro lugar e perde assim uma excelente chance de passar para a frente da tabela classificativa.

 

 

Os Campeões 6 – 6 SC Farfalhi

EMPATE EM JOGO ONDE NENHUMA DAS EQUIPAS MERECIA A DERROTA

                Para finalizar mais uma jornada da SuperLiga de Futsal de Lisboa, Os Campeões defrontavam os ainda bicampeões da competição SC Farfalhi, num jogo entre duas equipas em extremos opostos da tabela classificativa. Os Campeões em primeiro lugar com os mesmos pontos do ODIN e com apenas um de vantagem sobre os Activos 24, procurava vencer e manter-se no topo da tabela classificativa, já o SC Farfalhi, com uma época algo irregular encontram-se em ultimo lugar a necessitar urgentemente de pontos para fugir do fundo da tabela.

                Com o início de partida veio o primeiro golo, com André Reis a surpreender tudo e todos com um potente remate do meio da rua e a colocar a equipa Os Campeões na frente do marcador logo no primeiro minuto. Com um início de jogo eletrizante o SC Farfalhi respondeu de imediato e Diogo Augusto com uma finalização cheia de oportunismo empatou a partida, mas numa fase de para e resposta entre as duas equipas Tiago Fortes voltou a recolocar a equipa Os Campeões na frente do marcador apenas dois minutos depois. Com o golo sofrido a equipa do SC Farfalhi assentou os eu jogo e nos minutos seguintes João Cabral teve nos pés o golo do empate, que surgiria apenas ao minuto onze, com Vasco Carvalho a aparecer da melhor forma ao segundo poste para voltar a empatar a partida, desta feita a dois golos, sendo que no minuto seguinte, Aproveitou mais uma das muitas transições rápidas da sua equipa e colocou o SC Farfalhi pela primeira vez na frente do marcador. Numa fase de maior pressão do adversário o SC Farfalhi aproveitou nova desatenção da defesa contrária e Vasco Carvalho solto de marcação na área contrária dilatou a vantagem da sua equipa para 4-2. Depois de uma fase de maior ascendente do SC Farfalhi, Os Campeões voltaram a colocar-se em cinco contra quatro e Miguel Silva a três minuto do intervalo voltou a colocar a desvantagem da sua equipa na margem mínima. Até ao apito do árbitro pata o intervalo Os Campeões procuraram voltar a marcar para empatar a partida, mas já no último lance da primeira metade, João Cabral fez também ele o gosto ao pé e levou o SC Farfalhi a vencer por 5-3 para o intervalo.

                A segunda metade iniciou-se com a equipa Os Campeões por cima a tentar chegar rapidamente ao golo e Tiago Fortes nos primeiros minutos da segunda parte teve nos pés a possibilidade de reduzir para a margem mínima, mas a sorte não esteve do seu lado na hora de finalizar. Com o passar dos minutos o nervosismo foi se apoderando das duas equipa e Diogo Augusto do lado do SC Farfalhi ia sendo o jogador mais perigoso e com o tardar da chegada do golo, a equipa Os Campeões fixaram-se a jogar em cinco contra quatro e á passagem do minuto trinta e um, Fábio Conceição conseguiu finalmente o golo que colocou a desvantagem da equipa Os Campeões na margem mínima e no minuto seguinte Miguel Silva cobrou da melhor forma um livre direto à entrada de área e voltou a deixar tudo empatado, desta feita a cinco golo. Com uma grande segunda parte, a equipa Os Campeões demonstrou uma grande crença e não baixou a guarda na tentativa de chegar á vitória e a cinco minutos do final, o mesmo Miguel Silva completou o seu terceiro golo no encontro e confirmou nova cambalhota no marcador, colocando Os Campeões novamente na frente do marcador. Até final a equipa Os Campeões tentou suster os sucessivos ataques do adversário, mas já no último minuto Vasco Carvalho tirou um adversário da frente e com muita calma faturou para o lado do SC Farfalhi, fixando o resultado final num empate a seis golos entre duas equipas que procuraram a vitória desde o primeiro minuto.

                Num jogo onde nenhuma das equipas merecia perder, a divisão de pontos foi o resultado final, com a equipa Os Campeões a perder dois pontos em cima do apito final do árbitro depois de uma fantástica reviravolta, mas ainda assim a isolar-se na liderança da classificação, já o SC Farfalhi soma mais um ponto na sua luta pela fuga do funda da tabela classificativa.

 

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.
EnglishFrenchPortugueseSpanish